COMUNICANDO: Nova iniciativa do Youtube pode desbancar o facebook

Nos últimos 10 anos o facebook criou um império a partir de uma rede social. Conquistou diversos mercados, comprou ferramentas, aplicativos e startups que pudessem manter sua hegemonia. Dezenas de redes sociais foram lançadas nesse período com a promessa de abalar as estruturas do gigante e tomar o seu lugar. As que não foram compradas, não passaram de alguns meses de investimento jogado fora. Até o Google se aventurou nesse território com o “G+”, mas foi massacrado sem piedade. Mas agora as coisas podem começar a mudar.

O Youtube resolveu lançar sua própria versão de uma plataforma social, e pela primeira vez eu acredito que alguém pode ter poder para abalar o império de Mark Zuckerberg. 

Essa iniciativa do Youtube possivelmente é um resposta ao ataque do facebook que reduziu quase a zero o alcance orgânico de seus vídeos compartilhados pelos usuários para estimular que os mesmos fossem carregados diretamente no feed de notícias, evitando que o usuário saia da rede social e aumentando o tempo de acesso. 

youtube-communityA partir de agora, os criadores de vídeos do YouTube terão disponível uma nova forma de se comunicar com seu público. A plataforma criou uma aba que funciona como uma rede social, chamada “Community” (Comunidades), o que permite que a partir de agora os usuários possam postar conteúdos em forma de texto ou imagens de forma similar ao que acontece no feed de notícias do facebook, e seus seguidores podem comentar e interagir com a postagem. Essa iniciativa cria para os donos de canais uma independência do Facebook, gerando engajamento na própria plataforma. A função ainda está em fase de testes e só foi liberada para um número limitado de canais.

Outra alternativa que o Youtube está apostando para concorrer com o facebook são os Hangouts, que devem ser melhorados para concorrer com o facebook live.

Com a queda do alcance orgânico do facebook e a popularização cada vez maior do uso de vídeos, aliado ao descontentamento cada vez maior dos usuários com a plataforma e somado ao poder do Youtube, que é mais um produto da “família Google”, acredito que desta vez Mark Zuckerberg precisa ficar preocupado.

Por Olimpio Araujo Junior | Founder – GestordeMarketing

Post Autor: Comunicando

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *