COMUNICANDO: Mídias Sociais estimulam vendas e vencem a crise na Páscoa por Fernanda Cappellesso

“Nossas vendas triplicaram em relação a 2016”, destaca bastante sorridente Jenny Barp – microempreendedora do setor de confeitaria, em Palmas – capital do Tocantins. Os resultados obtidos pela confeiteira contradizem a expectativa da pesquisa de intenção de compras divulgados  realizada na semana anterior pelo escritório modelo da Universidade Federal do TOCANTINS (UFT) e pela Fecomércio.

Conforme a pesquisa, 29,5% dos palmenses ainda estavam em dúvida se iriam ou não presentear. Outros 34,6% afirmavam que não pretendiam consumir os produtos e só 35,9% pretendiam comprar.Ainda de acordo com a pesquisa, do total de pessoas que consumiriam neste período, 76,1% dos palmenses pretendiam comprar ovos de Páscoa. 

A pesquisa também apontava que a elevação do preço dos ovos em até 10% em relação ao ano anterior era outro ponto que afastava os consumidores dos ovos de Páscoa.

E como foi que Jenny Barp conseguiu driblar as dificuldades e triplicar suas vendas em um momento de recessão econômica?

De acordo com a confeiteira,  como as pesquisas e o mercado apontavam que o palmense pretendia não presentear na data comemorativa para economizar, ela teve que buscar estratégias criativas para obter resultados positivos.

“As redes sociais foram, sem dúvida, a nossa ferramenta mais importante. Começamos o trabalho de divulgação bem mais que cedo que nossos concorrentes, que estão a mais tempo no mercado e já são bem mais conhecidos, buscamos primeiramente nos fazer conhecidos, depois mostrar nossos produtos e finalmente concretizar as vendas” , falou a empreendedora ao explicar a estratégia utilizada para garantir as vendas.

As três filhas de Jenny foram fundamentais para que o trabalho nas redes sociais se consolidassem. A microempreendedora não contratou nenhuma consultoria ou agência para realizar as ações. “Eu e as meninas em conjunto definimos o trabalho e fomos avaliando aquilo que era positivo ou negativo”.

Foram realizados três sorteios no Instagram. Um no perfil oficial da empresa; outro no perfil de um digital influencer da cidade e outro no perfil de um cantor de renome nacional. “Os sorteios foram importantes para divulgar o nosso trabalho. Os nossos parceiros foram bastante ativos em todo o processo”, ressalta Jenny.

Outro atrativo que, segundo a empreendedora, a auxiliou bastante nas vendas foi o trabalho de Facebok com resposta imediata aos clientes. “Eles te procuram e querem saber tudo na hora. Se você demorara, a compra será efetivada com quem der a atenção”, pontua.

A empreendedora também utilizou bastante o aplicativo Whatssap para divulgar as vendas. “-Os grupos de Whatssap e a lista de transmissão foram muito importantes, pois são as ferramentas mais diretas que utilizamos. É o velho boca a boca ne?”, finaliza Jenny destacando que houve um crescimento no banco de dados e no número de seguidores das redes sociais durante o trabalho desenvolvido para a Páscoa.

A microempreendedora disse também que o foco agora é o dia das mães, que é a próxima data comemorativa e a segunda melhor data para o comércio do Brasil.

fernanda cappellesso

Post Autor: Comunicando

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *